IMPRESSIONISMO

O movimento Impressionista revolucionou profundamente a pintura, dando início às grandes tendências da arte do século XX.

Os pintores impressionistas procuraram, a partir da observação direta do efeito da luz solar sobre os objetos, registrar em suas telas as constantes alterações que essa luz provoca nas cores da natureza.

Havia algumas considerações gerais, que os artistas seguiam em seus procedimentos técnicos para obter os resultados que caracterizaram a pintura impressionista, tais como:

-A pintura deve registrar as tonalidades que os objetos adquirem ao refletir a luz solar num determinado momento, pois as cores da natureza se modificam constantemente, dependendo da incidência da luz do sol (Montes de feno / Monet - foto 01).

         foto 01

-As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é uma abstração do ser humano para representar as imagens.

-As sombras são, luminosas e coloridas, tal como é a impressão visual que nos causam, e não escuras ou pretas, como os pintores costumavam representá-las no passado.

-Os contrastes de luz e sombra devem ser obtidos de acordo com a lei das cores complementares. Assim, um amarelo próximo a um violeta produz uma impressão de luz e de sombra muito mais real do que o claro-escuro tão valorizado pelos pintores barrocos.

-As cores e tonalidades não devem ser obtidas pela mistura das tintas na paleta do pintor e sim puras e dissociadas nos quadros, em pequenas pinceladas, deixando de ser técnica para ser óptica. E o observador ao admirar a pintura, combina as várias cores, obtendo o resultado final(Jovem com sombrinha / Monet - foto 02).                               

      O primeiro contato com a obra dos impressionistas foi numa exposição coletiva realizada em Paris, em abril de 1874, no qual público e crítica reagiram muito mal ao novo movimento, pois ainda se mantinham fiéis aos princípios acadêmicos da pintura.

 Entre os expositores estavam Renoir, Degas, Píssarro, Cézanne, Sisley, Monet e Morisot. Só na década seguinte é que os impressionistas começaram a ser compreendidos pela crítica e pelo público.

 

    Do Impressionismo ao Pontilhismo (ou Divisionismo)

Essa técnica foi assim chamada, porque as figuras, na tela, são representadas em minúsculos fragmentos ou pontos, cabendo ao observador percebê-las como um todo.

      Os trabalhos de Georges Seurat (1859-1891) e Paul Signac (1863-1935), que participaram da última exposição coletiva do grupo de artistas impressionistas em 1886, aprofundaram as pesquisas que os impressionistas realizaram quanto à percepção óptica. Seurat, principalmente, acabou reduzindo as pinceladas a pontos uniformes que, no seu conjunto, dão ao observador a percepção de uma cena ("Tarde de domingo na ilha Grande Jatte"/Seurat - foto 03).

                 foto 02    foto03